Arquidiocese de Juiz de Fora reúne Clero e missionários sinodais para iniciar nova etapa do Sínodo

missa sinodalO último dia de outubro, mês dedicado às missões, marcará uma importante etapa da vida da Arquidiocese de Juiz de Fora, cuja lema é “uma Igreja sempre em missão”. No próximo domingo (31), será a abertura oficial da segunda fase do II Sínodo Arquidiocesano, iniciativa pastoral iniciada em dezembro de 2019 e cuja primeira parte foi fortemente marcada pela pandemia da Covid-19.

O novo ciclo levará em consideração justamente as mudanças ocasionadas pelo novo coronavírus. “Naquele dia 7 de dezembro ninguém sabia que ia haver pandemia; ninguém podia imaginar que o ano de 2020 fosse aquilo que foi. Por isso, nós entramos agora numa segunda fase do Sínodo, sabedores desta realidade, para que possamos reorientar a nossa vida eclesial mediante este sistema atual que estamos vivendo no mundo inteiro”, explica o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, que presidirá a Celebração Eucarística.

O Pastor, principal incentivador da realidade sinodal, aponta os dois focos principais da nova etapa. “O primeiro é um olhar perspicaz, direto, caridoso, amoroso para com os pobres, para com os empobrecidos da pandemia, para aqueles que estão em situação difícil. A segunda parte será uma revisão séria dos nossos métodos e organismos pastorais. A pandemia mudou muita coisa no mundo, por isso a nossa organização pastoral não pode ser a mesma de antes.”

A Missa de abertura da segunda fase do Sínodo será celebrada na Catedral Metropolitana de Juiz de Fora, às 16h, com transmissão ao vivo pelo Facebook e YouTube da WebTV “A Voz Católica” e pela Rádio Catedral FM 102,3. Na ocasião, estarão presentes os padres e diáconos permanentes da nossa Igreja Particular, além dos missionários sinodais.

Vale lembrar que, no mesmo dia, serão ordenados diáconos transitórios os seminaristas Rafael Coelho do Nascimento e Robert César Teixeira. Clique aqui e saiba mais.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Nota: Estado de saúde do nosso administrador paroquial, padre José de Anchieta

nota estado saudeNo último sábado, dia 23, o administrador paroquial da Catedral, padre José de Anchieta Moura Lima, passou por um procedimento cirúrgico na vesícula, que possuía poucos cálculos, mas estava inflamada. Foi corrigida também uma pequena hérnia no umbigo.

A cirurgia foi um sucesso, durou cerca de 1h20 e foi conduzida pelo Dr. Rafael Rabelo. O padre Anchieta recebeu alta neste domingo (24), no início da tarde, porém os médicos indicam que durante o período de recuperação ele não receba visitas, por conta da situação pandêmica.

O padre está se sentindo bem melhor e agradece o apoio, carinho e orações. "Obrigado a todos vocês pelas orações, apoio e consideração. Deus os abençoe. Seja bendito o nome do Senhor, hoje e sempre! Amém."

Arquidiocese de Juiz de Fora abre fase local do Sínodo dos Bispos

Missa-de-abertura-do-SinodoA Arquidiocese de Juiz de Fora deu início na tarde do último domingo, 17 de outubro, à fase local do Sínodo dos Bispos 2021-2023, convocado pelo Papa Francisco. O ato teve lugar durante a Missa, na Catedral Metropolitana de Juiz de Fora.

A celebração, em unidade com as dioceses do mundo todo, foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, concelebrada pelo Vigário Geral da Arquidiocese, Monsenhor Luiz Carlos de Paula e demais padres da Catedral.

Por determinação do Papa, foi aberto o caminho de escuta e discernimento nas Igrejas locais, através de questionários, celebrações, orações. Esse é a fase do sínodo iniciado pelo Papa Francisco em Roma, no dia 10 de outubro, se estende até março de 2022. Na sequência, haverá a fase continental. Por fim a fase mundial, com a celebração da Assembleia do Sínodo no ano de 2023.

O Arcebispo de Juiz de Fora explicou o propósito do Papa com tal iniciativa. “Refletir, justamente, sobre uma Igreja Sinodal, onde todos caminham juntos com participação, comunhão e missão. Com alegria que a Arquidiocese de Juiz de Fora abre essa fase diocesana do Sínodo dos Bispos em Roma, convocados pelo Papa Francisco”.

Durante a homilia, Dom Gil destacou é devido a ao pedido de Jesus para que seja “um só” que a Igreja celebra os sínodos. A palavra vem do grego e, em tradução simples, é traduzida como “caminhar juntos”. E o Sínodo dos Bispos discutir a partir e sobre isso, pois será como tema: “Por uma Igreja sinodal”.

Além disso, o Pastor recordou nossa atual caminhada sinodal. “Em Juiz de Fora, já estamos acostumados com essa dinâmica e palavra. A Igreja de Juiz de Fora já é sinodal e missionária, mas precisa se aperfeiçoar. Por isso, no dia 31 de outubro, vamos entrar na nova fase do II Sínodo Arquidiocesano”.

II Sínodo Arquidiocesano

A próxima etapa do sínodo iniciado em 2019, terá dois enfoques escolhidos: caridade e a pastoral. Sua abertura oficial será marcada por uma Celebração Eucarística, às 16h, na Catedral Metropolitana. A Missa deve contar com a presença de grande parte do Clero e dos missionários sinodais. Além disso, na ocasião acontece a Ordenação Diaconal dos seminaristas Rafael Nascimento e Robert Teixeira.

Missa-de-abertura-do-Sinodo-2“Esse nosso sínodo Arquidiocesano vem como que acoplado ao sínodo mundial que o Papa anuncia. Para nós, não é difícil entender o que é uma Igreja Sinodal, onde todos procuram caminhar juntos, humildemente, renunciando seus interesses pessoais para, juntos, encontrar uma maneira segura de obedecer a Cristo e propagar a sua Igreja, portanto ser missionária”, conclui Dom Gil.

O Sínodo dos Bispos

O Papa Francisco ressaltou durante a comemoração do 50º aniversário da instituição do Sínodo dos Bispos, em outubro de 2015, que “o Sínodo dos Bispos é o ponto de convergência do dinamismo da escuta recíproca no Espírito Santo, conduzida em todos os níveis da Igreja” Assim, a Secretaria do Sínodo pontua que a articulação das diferentes fases do processo sinodal possibilitará a escuta real do Povo de Deus e será garantida a participação de todos no processo sinodal: “Não é apenas um acontecimento, mas um processo que envolve em sinergia o Povo de Deus, o Colégio Episcopal e o Bispo de Roma, cada um segundo a sua função”.

Com a síntese de cada Diocese, a Secretaria Geral do Sínodo elaborará um primeiro instrumento de trabalho a ser utilizado na segunda fase, a Continental, de setembro do próximo ano até março de 2023. Com os dados desta fase, a Secretaria Geral produzirá, até junho de 2023, um segundo instrumento de trabalho, que servirá de base para a fase da Igreja Universal, em outubro de 2023, em Roma, com a participação de Bispos do mundo inteiro. A equipe de animação do Sínodo no Brasil já realizou live enfocando a fase diocesana do mesmo e está disponibilizando indicações práticas de participação.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora, com informações de Vatican News

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video