Arcebispo de Juiz de Fora divulga transferências de padres

TransferenciasNa manhã deste domingo, 22 de maio, o sexto da Páscoa, o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, divulgou comunicado no qual indica as transferências de padres para novas paróquias. O anúncio já havia sido feito a presbíteros e diáconos no último dia 17, durante Reunião do Clero, no prédio da Cúria Metropolitana.

Ao todo foram 33 mudanças, contemplando paróquias de Juiz de Fora e de outras cidades da Arquidiocese. No início de sua mensagem, o Arcebispo indica que as alterações têm “como único objetivo o bem espiritual do Povo de Deus que peregrina nesta grei”. Além disso, por ocasião do encontro de terça-feira (17), Dom Gil explicou que essas mudanças são naturais e inevitáveis. “Elas vão acontecer sempre, não há como um padre ficar perpetuamente em uma paróquia”, afirmou em entrevista aos veículos de comunicação arquidiocesanos.

Vela lembrar que as leis da própria Igreja esclarecem sobre o porquê das transferências de padres numa (arqui)diocese: o Código de Direito Canônico, em seu cânon 1748, determina que “se o bem das almas ou a necessidade ou utilidade da Igreja já exigirem que o pároco seja transferido de sua paróquia, que dirige com eficiência, para outra paróquia ou outro ofício, o bispo proponha-lhe a transferência por escrito e o aconselhe a consentir, por amor a Deus e das almas”. O regulamento eclesiástico ainda aponta que as transferências podem ser voluntárias ou por obediência, isto é, com o consentimento do sacerdote ou pelo voto de obediência ao (arce)bispo, juramento proferido durante o ato de sua ordenação.

Clique aqui e confira a mensagem do Arcebispo na íntegra.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Após restaurações, imagens voltam a enfeitar altares da Catedral de Juiz de Fora

recolocacao imagens altarNo último domingo (15), o 5º da Páscoa, a Missa das 10h, na Catedral de Juiz de Fora, foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira. Na ocasião, três imagens voltaram a enfeitar o templo, após terem passado por restaurações. Ainda no início da Celebração, as esculturas do Sagrado Coração de Maria (ou Nossa Senhora do Líbano), no altar lateral, e as de Nossa Senhora e São José, do altar central, foram abençoadas e entregues à comunidade católica.

“Este é um momento de a gente agradecer, porque tudo o que é belo é expressão do amor de Deus. E quando Deus nos dá a graça de fazer coisas belas, sobretudo aos artistas, Ele dá, então, uma graça de semear a beleza como sinal do amor. Usar imagens, enfeitar igrejas, fazer ícones, afinal de contas, utilizar a arte sacra em benefício do reino de Deus é algo muito louvável”, ressaltou Dom Gil.

recolocacao imagens altar2As imagens foram restauradas graças à colaboração de dois paroquianos da Catedral: Deuziana Miranda L. Rocha e Paulo Caruso, que estiveram presentes na Eucaristia. “Eu me sensibilizei ao ver a imagem, me senti abençoado e, ao perceber que ela precisava de uma reforma, eu me prontifiquei de imediato. Poder ajudar na restauração do Sagrado Coração de Maria na verdade foi um presente que eu ganhei; de poder colaborar para transmitir a luz de Maria, do seu coração infinito que sempre tem estado diante de nós, intercedendo por nós”, afirmou Paulo.

As imagens foram restauradas pelo Artesanato Costa, de São Paulo (SP).

Canonização de São Carlos de Foucauld

recolocacao imagens altar3Durante a Celebração Eucarística, foi recordada a canonização, por Papa Francisco, do missionário eremita francês São Carlos de Foucauld. O Administrador Paroquial da Catedral Metropolitana, Padre José de Anchieta Moura Lima, falou com emoção da conquista. “Esse monge que viveu a experiência do deserto, procurando imitar Jesus tanto na vida, como na morte. Procurou seguir bem de perto o evangelho. Ele dizia que era preciso gritar o evangelho com a vida. Eu faço parte da Fraternidade desde 1994 e sei que ela tem feito um bem muito grande; inclusive me impulsionou a ir para a missão na Amazônia”, confidenciou em entrevista.

Ao final da Missa, todos os presentes foram convidados a rezar a “oração do abandono”, escrita pelo santo recém-canonizado.

Clique aqui e confira mais fotos da celebração.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Na Catedral: Dom Gil preside celebração do dia de Nossa Senhora de Fátima

n sra fatimaNo início da tarde da última sexta-feira, 13 de maio, o arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira presidiu missa especial pelo dia de Nossa Senhora de Fátima, na Catedral Metropolitana. Na ocasião, foram celebrados os 166 anos da Congregação do Santíssimo Sacramento e um mês de falecimento do sr. José Lopes Lima, pai do nosso administrador paroquial, padre José de Anchieta Moura Lima.

A Santa Missa foi concelebrada pelo padre José de Anchieta e pelo padre José Elissandro Santos de Santana, sss, que representou a Congregação do Santíssimo Sacramento nesta data especial de comemoração. Também contou com a participação do diácono permanente, Antonio Valentino Neto.

Dom Gil expressou alegria ao falar desta celebração de Nossa Senhora de Fátima, da qual participaram muitos fiéis. “Há dois anos que não podíamos celebrar essa festa e hoje o povo veio acorrendo para celebrar e agradecer ao nosso Senhor as mensagens que Ele nos mandou através dos lábios puríssimos de Nossa Senhora para o coração santíssimo daquelas crianças de Fátima. Ali Nossa Senhora pediu oração de paz, penitência e que nós construíssemos um mundo e uma política com Deus, porque sem Deus não podemos nada. Tantas coisas estavam acontecendo naquela época e Nossa Senhora nos deixou essas mensagens que são muito atuais, pois nós estamos com essa guerra entre e a Rússia e a Ucrânia e novamente nós sentimos no coração o pedido de rezar pela paz”.

O arcebispo relembrou a consagração da Rússia e da Ucrânia, feita pelo papa à Nossa Senhora de Fátima, no dia 25 de março. “O Papa Francisco consagrou a Rússia e a Ucrânia à Nossa Senhora de Fátima e nós renovamos esse gesto, que Nossa Senhora nos conceda muita paz e alegria no coração e entre as nações”.

O pastor também falou sobre as outras intenções pelas quais a celebração foi realizada. “Oferecemos essa missa da Catedral por mais duas intenções: o trigésimo dia da Páscoa definitiva do sr. José Lopes, pai do nosso padre Anchieta, que partiu dessa vida, mas deu exemplo de tanta fé e tanto amor; e também os 166 anos da Congregação dos Sacramentinos, que agora tem uma casa na nossa Arquidiocese, Casa Formativa dos seus alunos da Filosofia. Queremos agradecer a Deus também por essa Congregação, que traz para a Igreja tantos benefícios e tantas bênçãos.”

Ao final da celebração, três crianças vestidas de pastorinhas, representando Lúcia, Jacinta e Francisco, e uma mãe participaram de um momento emocionante, que foi a coroação de Nossa Senhora de Fátima.

Confira as fotos em nosso Facebook.

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video