Em preparação para o Centenário Diocesano, Arquidiocese de Juiz de Fora divulga logo comemorativa

Centenario-DiocesanoA Arquidiocese de Juiz de Fora prepara-se para uma data marcante em sua história: os cem anos de criação da Diocese, que serão comemorados em 1º de fevereiro de 2024. Em razão da efeméride, foi escolhido um tema que regerá as festividades – “Igreja de Juiz de Fora, há 100 anos caminhando na estrada de Jesus” – e também um lema: “Fazei de nós um só corpo e um só espírito” (cf. Ef 4,4).

Para identificar visualmente esta festa arquidiocesana, foi criada uma logo comemorativa, apresentada no último sábado (18), durante o Encontro Arquidiocesano da Pastoral da Comunicação (Pascom). A imagem traz como destaque um ostensório, recordando que o próximo ano será dedicado à Eucaristia em nossa Igreja Particular; e, ao centro, o Cordeiro, centro da vida eclesial. Confira, abaixo, a explicação de cada elemento da logo:

Jesus Sacramento é simbolizado pelo ostensório com o cordeiro. O Cordeiro Pascal é o centro da vida eclesial. A espiritualidade eucarística conduz à comunhão: um só corpo e um só espírito (cf. Ef 4,4); a fazer memória com o coração agradecido; a partilhar e cuidar dos mais necessitados; e a abrir o coração para o novo tempo de missão.

Os Raios do ostensório são as mãos dadas de todo o povo de Deus no caminho sinodal e missionário da Igreja de Juiz de Fora, há 100 anos caminhando na estrada de Jesus. A circularidade diz da ação do Espírito Santo, que gera na Igreja comunhão e participação.

A cor amarela significa a nobreza da festa do centenário, assim como as riquezas de nossa Arquidiocese de Juiz de Fora.

Programação definida

A programação da grande festa do Centenário também já foi definida: iniciará em 1º de fevereiro, dia exato da criação da Diocese de Juiz de Fora, com a abertura do tríduo comemorativo. Como se trata de uma quinta-feira, o dia será dedicado à Eucaristia e marcará a abertura do Ano Eucarístico em nossa Igreja Particular. Estão previstos momentos de adoração ao Santíssimo Sacramento, procissões e celebrações festivas, além do recolhimento de alimentos não-perecíveis, que beneficiarão obras sociais.

Em 2 de fevereiro, Festa da Apresentação do Senhor e da Purificação de Nossa Senhora, e também primeira sexta-feira do mês, os fiéis serão convocados a um dia penitencial. Na ocasião, haverá atendimento de confissões, unção dos enfermos e a tradicional “Celebração da Luz.

Por fim, no encerramento do tríduo, no sábado (3), será a conclusão do Ano Mariano, e serão promovidas missas com bênção das gargantas, devido ao Dia de São Brás. O 3 de fevereiro também será marcado pelas ordenações presbiterais e diaconais que acontecerão na Catedral Metropolitana, às 9h. Com exceção desta celebração, a proposta é que os três primeiros dias de festa sejam celebrados nas foranias, paróquias e comunidades, a partir de subsídios que serão preparados pela Comissão Arquidiocesana para a Festa do Centenário.

A grande solenidade dos cem anos da Diocese de Juiz de Fora será celebrada em 4 de fevereiro, em torno do altar da Catedral Metropolitana. A programação será iniciada às 14h, com um evangelizashow, e terá seu auge às 16h, com a Missa Solene. Estão previstas as presenças de bispos oriundos do Clero juiz-forano e da região, padres e diáconos do clero local e de representantes de todas as 91 paróquias da Arquidiocese de Juiz de Fora. Será instalada, no exterior do templo, uma estrutura de telões para a multidão que é esperada para este dia.

Arquidiocese e Diocese: qual a diferença?

O imperador romano Diocleciano (284 a 305 d.C) dividiu o império em províncias administrativas, que ele chamou de Dioceses. Em cada uma, ele colocou um vigário, que governaria a província em nome do imperador. Quando o império romano caiu, a Igreja assumiu também esta divisão e o que era chamado de Diocese passou a ser a jurisdição de um bispo. Com o Concílio Vaticano II, este conceito evoluiu para o de “porção do povo de Deus para o pastoreio de um Bispo”.

Com o crescimento da Igreja, as dioceses foram se dividindo e formando novas dioceses. Em meio delas, aquelas com maior antiguidade e preeminência foram chamadas de Arquidioceses (arqui em grego, significa primeiro). Nela, se encontra um bispo que tem o título de Arcebispo.

A Arquidiocese funciona como uma diocese; entretanto, ela agrupa em torno de si outras dioceses menores ou mais novas, chamadas de sufragâneas. Elas não dependem da Arquidiocese, mas se harmonizam, agrupadas, em uma Província Eclesiástica. A Arquidiocese de Juiz de Fora, por exemplo, tem como sufragâneas as dioceses de Leopoldina e São João del-Rei.

Vale lembrar que a Diocese de Juiz de Fora foi criada com a Bula Pontifícia “Ad Sacrosancti Apostolatus Officium”, do Papa Pio XI, em 1º de fevereiro de 1924. A elevação da Igreja de Juiz de Fora para a condição de Arquidiocese aconteceu em 14 de abril de 1962, através da Bula Pontifícia “Qui Tanquam Petrus”, do Papa João XXIII.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Catedral começa a sediar reuniões do grupo de Narcóticos Anônimos

narcoticos-anonimos-logoDesde o dia 09 de novembro, a Catedral começou a sediar reuniões dos Narcóticos Anônimos, o nome do grupo que está se reunindo é Quinta Tradição. Os encontros estão acontecendo toda terça e quinta, das 12h às 13h30, na sala 42.

O programa de Narcóticos Anônimos ou NA é uma Irmandade ou Sociedade sem fins lucrativos, de homens e mulheres para quem as drogas se tornaram um problema maior. São adictos em recuperação, que se reúnem regularmente para ajudar uns aos outros a se manterem “limpos”.

Este é um programa de total abstinência de todas as drogas e há somente um requisito para ser membro: o desejo de parar de usar. O grupo sugere que o participante mantenha a mente aberta e se dê uma oportunidade.

Como funciona o programa de Narcóticos Anônimos

Nosso programa é um conjunto de princípios escritos de uma maneira tão simples que podemos segui-los nas nossas vidas diárias. O mais importante é que eles funcionam.

NA não tem subterfúgios, não somos filiados a nenhuma outra organização, não temos matrícula nem taxas, não há compromissos escritos, nem promessas a fazer à ninguém. Não estamos ligados a nenhum grupo político, religioso ou policial e, em nenhum momento, estamos sob vigilância.

O recém-chegado é a pessoa mais importante em qualquer reunião, porque só dando podemos manter o que temos. Qualquer pessoa pode juntar-se a nós, independentemente da idade, situação financeira, raça, orientação sexual, crença, religião ou falta de religião.

Não estamos interessados no que ou quanto você usou, quais eram os seus contatos, no que fez no passado, no quanto você tem ou deixa de ter; só nos interessa o que você quer fazer a respeito do seu problema e como podemos ajudar. Aprendemos com nossa experiência coletiva que aqueles que continuam voltando regularmente às nossas reuniões mantêm-se limpos.

* Com informações de na.org.br

Prorrogadas inscrições para Encontro Arquidiocesano da Pascom

Encontro-da-Pascom-1A coordenação da Pastoral da Comunicação (Pascom) Arquidiocesana prorrogou as inscrições para o encontro agendado para 18 de novembro, em Juiz de Fora. Os pasconeiros e pasconeiras poderão se inscrever até o próximo dia 16, antevéspera do evento, bastando preencher um formulário on-line (clique aqui).

O Encontro Arquidiocesano da Pascom será realizado no Seminário Santo Antônio, a partir das 8h, iniciando com Santa Missa. A celebração será presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, que gravou um vídeo convidando os agentes da pastoral para este momento de formação e espiritualidade.

Acesse e confira o convite do nosso Arcebispo, Dom Gil: youtu.be/xXpawZRcC_s

O tema do evento será “A melhor notícia é Jesus: o comunicador como mensageiro da Boa Nova do Senhor”. A taxa de participação é de R$ 70 por pessoa, estando inclusa a alimentação de todo o dia. O valor deverá ser pago pelas paróquias na Tesouraria da Cúria Metropolitana, juntamente com o acerto do balancete.

O Seminário Arquidiocesano Santo Antônio fica na Av. Barão do Rio Branco, 4516 – Bairro Alto dos Passos.

Confira a programação completa:

8h às 8h30: Chegada e Credenciamento
8h30 às 9h30: Celebração Eucarística – Dom Gil Antônio Moreira (Capela do Seminário)
9h30 às 10h: Acolhimento e café da manhã
10h às 11h: Palestra “Os desafios do mensageiro para uma comunicação eficaz” – Gabriel Landim
11h às 11h15: Perguntas
11h15 às 12h: Momento de Espiritualidade com Padre Rafael Nascimento
12h às 13h30: Almoço
13h30 às 13h45: Retorno ao auditório
13h45 às 14h45: Palestra “Comunicar na era digital: estratégias para as redes sociais” – Vinícius Rangel
14h15 às 15h: Perguntas
15h às 16h30: Oficinas práticas (escrita, fotografia religiosa, elaboração de artes, vídeo e filmagem)
16h30 às 16h45: Coffee Break
16h45 às 17h30: Palestra “A Comunicação e o centenário diocesano” – Padre Antônio Camilo de Paiva
17h30 às 18h: Encerramento

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video