Celebração Eucarística marca Ordenação Diaconal de dois seminaristas e abertura da nova fase do II Sínodo Arquidiocesano

Ordenacao-DiaconalNa tarde do último domingo, 31 de outubro, a Catedral Metropolitana de Juiz de Fora sediou a Celebração Eucarística que marcou o início da segunda fase do II Sínodo Arquidiocesano e a Ordenação dos agora diáconos transitórios Rafael Coelho Nascimento e Robert César Teixeira.

O templo voltou a receber grande número de fiéis em Missa arquidiocesana, sendo tomados todos os cuidados de prevenção contra a Covid-19. Participaram, na ocasião, além de padres e diáconos permanentes, os missionários sinodais e os convidados dos seminaristas.

O momento de festa foi bastante emocionante para muitos presentes, principalmente para os ordenados. Segundo o Diácono Rafael, este é o início de um novo tempo que será vivido com alegria. “É muita emoção, muita gratidão pelo chamado, pela vontade dele se realizando em nossa vida, apesar das nossas limitações, das nossas fraquezas. Chegar a esse dia é muito mais do que chegar ao ápice, mas é o início de um novo tempo. Tempo de serviço, de entrega, de oferta pelo reino dos céus. A gente quer, com muita alegria, abraçar essa nova missão, para que o mundo faça experiência do amor de Deus, da presença dEle em cada vida, em cada coração.”

Para o Diácono Robert, que aparentava estar transbordando alegria, o lema da ordenação “Ungiu-nos, selou-nos e pôs em nosso coração o Espírito como penhor” (2Cor 1,22) é providentemente oportuno. “É uma mistura de sentimentos. A ansiedade quando a gente vê nossos irmãos passando por esse momento e agora chega a nossa vez. Então, é uma alegria imensa ver pessoas que torcem por nós, que rezam por nós aqui. Como nosso lema diz, agora é deixar conduzir pelo Espírito Santo na missão que o Senhor nos guia, apesar das nossas limitações, mas o Senhor nos chamou e a gente se coloca disponível para comprimir a vontade dele”.

Ele explicou o que muda agora tendo recebido o sacramento da ordem. A gente é Diácono transitório, porque tem em vista a Ordenação Presbiteral, porém sabemos que o diaconato passa, mas a diaconia permanece. O especifico é colocar-se a serviço, na liturgia da Palavra e também no serviço daqueles que mais precisam. A melhor forma de explicar é esse colocar-se a serviço e é isso que nós estamos nos propondo”.

O Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu a Missa festiva. “É grande a satisfação do meu coração com a ordenação diaconal de mais dois candidatos ao sacerdócio, e também grande alegria por iniciar uma nova fase do nosso sínodo. Com a constituição de comissões de novas diaconias, com ajuda dos padres e dos conselhos, instituímos agora nova etapa de trabalho em benefício da Igreja Particular de Juiz de Fora, uma igreja sempre em Missão, como nós sempre proclamamos e queremos ser”, frisou o Pastor.

Durante a homilia, Dom Gil falou o quanto é significativa esta acolher os novos diáconos. “A ordenação diaconal de vocês, caros filhos, representa muito para todos nós, pois além de vocês serem dois novos servidores de Deus que chegam para somarem ao clero na construção do reino, também representam, nessa nova fase sinodal, a marca da atenção aos pobres e a reforma da pastoral, dois elementos eminentemente diaconais; foi para isso que os apóstolos instituíram a ordem dos diáconos”, explicou ele, destacando a relação das celebrações.

O Arcebispo esclareceu que por trás de todas as ações está o mandamento maior “Amar a Deus, sobre todas as coisas e amar ao próximo como a ti mesmo”. “O que queremos em nossa Arquidiocese com estes fatos, senão colocar em prática, da melhor maneira possível, superando nossos limites e nossas fragilidades, o grande mandamento que Jesus nos ensinou? O que queremos com nosso sínodo, senão caminhar juntos, praticando concretamente o amor?”

Ao final da Celebração Eucarística, ocorreu uma homenagem a Virgem Maria, onde Dom Gil abençoou uma imagem da Catedral que foi restaurada e anunciou Nossa Senhora como copadroeira da Diocese, em vista do Centenário da Diocese, com título a definir e a ser decretada pela Santa Sé.

A data para a ordenação sacerdotal de Robert e Rafael ainda não está definida.

Caminhada Sinodal

Antes da Eucaristia, cerca de 70 missionários sinodais reuniram-se com a Comissão do Sínodo para conhecerem os próximos passos da iniciativa pastoral. “Tivemos a alegria de realizar a segunda assembleia com os missionários. Pudemos fazer um balanço da primeira fase do II Sínodo, através do resultado dos relatórios, tivemos a palavra do Arcebispo, motivando os presentes a coparticiparem cada vez mais desse momento, e preparar para poder viver o tempo novo”, contou o Secretário do II Sínodo Arquidiocesano, Padre Vanderlei Santos de Sousa, CSsR.

Este foi o primeiro encontro presencial, após o início da pandemia. Para Alice Araújo, da Paróquia Nossa Senhora da Piedade, de Rochedo de Minas (MG), a reunião foi muito proveitosa. “Esse encontro pessoal faz muita falta, anima mais a gente, vemos as experiências de outras paróquias e buscamos isso como um exemplo a ser seguido. A gente pode ver mais as falhas existentes poque as vezes a gente acomoda”, relatou a missionária sinodal.

Durante a Eucaristia daquela tarde, Dom Gil explicou aos fieis o objetivo, a nova fase e a satisfação com todo o trabalho feito até então. “Estamos agradecendo a Deus pela primeira etapa do sínodo. Essa fase primeira durou 2 anos. Com alegria e esperança, estamos abrindo a nova fase sinodal, empreendendo caminhos novos neste tempo que já se abre para a superação da pandemia. Vamos juntos caminhar nesse novo tempo; certos de que estamos realizando o grande preceito do Senhor.”

Sínodo Arquidiocesano

O II Sínodo Arquidiocesano foi aberto oficialmente em 27 de outubro de 2019. Seu objetivo é examinar a realidade de toda a Arquidiocese e elaborar maneiras de melhora-la, de forma que as paróquias e comunidades caminhem juntas no trabalho de evangelização e rumo ao céu.

A nova fase do II Sínodo Arquidiocesano terá dois enfoques: caridade e a pastoral. “A primeira fase foi marcada pela palavra “desafio”, começamos com um projeto, uma perspectiva, e aí veio a pandemia da covid-19 que nos lançou num turbilhão de outras perguntas. Foi um desafio. A Igreja se propõe a ouvir, a caminhar juntos, e Deus nos propiciou a ter uma experiencia mais profunda, não só do que era mais comum, do que já estava organizado, mas a pandemia nos colocou para olhar com muito mais atenção e saber que a gente pode dar passos concretos dentro da nossa Igreja”, explicou o Secretário do Sínodo.

Durante a Missa da Abertura da II fase, o Arcebispo frisou a importância de olharmos para realidade sanitária e social que estamos vivendo, justificando mais uma vez a escolha de tais pilhares como nova linha de atuação.

Boas novas

Na ocasião, foram apresentados aos fiéis novo hino e oração, compostos especialmente para a nova fase. Além disso, por meio de decreto, foram criadas oficialmente a Comissão para Revisão e Reforma da Organização Pastoral da Arquidiocese de Juiz de Fora e a criação de duas novas diaconias: a Diaconia ‘Dai-lhes vós de comer’ – com o objetivo de servir aos trabalhos da Arquidiocese de cuidam de insegurança alimentar-, e a Diaconia ‘Vinde a mim os pequeninhos’, com o objetivo de servir aos grupos diocesanos que desempenham atividades educativas.

Para o Padre Vanderlei a palavra que marca a II fase é confiança. “A Igreja caminha, é sustentada pelo Espírito, e com certeza ele vai nos dar sabedoria para conduzir-nos a olhar mais de perto as necessidades, a olhar mais de perto a dinâmica pastoral. Esses desafios, com a confiança em Deus, será uma realidade que nosso sínodo vai oferecer para a Igreja do Brasil através de Juiz de Fora”, afirmou o sacerdote.

É possível conferir o novo hino e oração em nosso site. Além disso, em nossa galeria, há mais fotos deste importante momento de nossa Igreja Particular.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Confira as fotos no Facebook da Catedral.

Arquidiocese de Juiz de Fora recorda importância do Dízimo em novembro

Mes-do-Dizimo-Capa-FacebookComo acontece tradicionalmente no mês de novembro, a Arquidiocese de Juiz de Fora dá início, nesta segunda-feira (1º), à Campanha do Dízimo 2021. Neste ano, a iniciativa tem o tema “Partilhar o dízimo nos aproxima do Pai” e o lema “O Pai vê seu dízimo e te cumula de todas as graças” (cf. Mt 6,4; 2Cor 9,8).

“Este mês serve para todos nós refletirmos e evangelizarmos em relação ao dízimo. E também a pensar: o que é o dízimo na minha vida de cristão? Será que eu tenho dado testemunho desse gesto que tenho na minha vida? São várias as perguntas que nós podemos fazer para celebrar melhor o dízimo em nossa Arquidiocese e em nossa paróquia”, ressalta o Assessor da Pastoral do Dízimo Arquidiocesana, Padre Miguel de Souza Lima Campos.

Mes-do-Dizimo-siteO sacerdote aprofunda o lema pensado para este ano. “Recorda que Deus vê todo gesto de amor e de bem que nós fazemos. Nada passa despercebido aos olhos cuidadosos de nosso Pai dos céus.” O cartaz, que tem como destaque uma mão estendida com um coração no centro, segundo Padre Miguel, mostra que a contribuição mensal é um gesto de partilha e entrega. “O dízimo, antes de ser apenas um mandamento ou uma obrigação, precisa ser essa entrega do nosso coração e da nossa vida”, aponta.

O Assessor da Pastoral do Dízimo ressalta a fidelidade dos dizimistas durante a pandemia, mas observa a necessidade de uma maior evangelização a respeito do ato. Por isso, em 2021, a comissão arquidiocesana optou pela produção de materiais virtuais, para divulgação nas redes sociais, somados ao cartaz e ao folder que tradicionalmente estampam as igrejas durante o mês. “Nós queremos, nesta campanha, reconhecer que temos muitos canais de evangelização, inclusive as próprias paróquias.”

O folder trará os passos do dízimo – de onde vem e para onde vai – e as dimensões deste gesto de partilha e amor segundo o Documento 106 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Catedral é a primeira igreja matriz da Arquidiocese a receber o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB)

mini-curso-brigada-incendio-1Após a execução completa do projeto de prevenção contra incêndio e pânico, a Catedral solicitou a vistoria do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) no mês de agosto. A corporação realizou a inspeção de todos os itens e emitiu o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB).

De acordo com o diácono permanente, Waldeci Rodrigues, que é 2º Tenente reformado do CBMMG, todas as edificações têm que se adequar às normas técnicas dos bombeiros, que no estado de Minas Gerais são representadas pela Lei 14.130, referente à Segurança Contra Incêndio e Pânico. “A Catedral deve ser dotada de saída de emergência, iluminação de emergência, sinalização de emergência, alarme de incêndio, extintores de incêndio, hidrantes, guarda-corpo e brigada de incêndio”, descreveu.

mini-curso-brigada-incendio-2“Estas são as medidas contra incêndio e pânico previstas, porque de acordo com a área total construída da edificação e o tipo de ocupação, ou seja, se é uma edificação comercial, residencial, local de reunião de público, portanto classifica-se a edificação dentro dessas medidas, então as exigências para a Catedral foram essas”, esclareceu Waldeci.

Ele também explicou que a preocupação com a prevenção contra incêndio e pânico vem de alguns anos atrás. “A Catedral já tinha um projeto de prevenção contra incêndio e pânico aprovado pelo monsenhor Antônio Cornélio Viana e no final de 2019 foi firmado um contrato com a nossa empresa, Doht Engenharia, (o Henrique meu filho, é engenheiro da firma e eu sou sócio dele) para que nós o executássemos, mas como o projeto não estava dentro das normas, tivemos que fazer algumas modificações e apresentar um novo para ser aprovado. ”

mini-curso-brigada-incendio-3O diácono destacou um ponto importante de alteração no processo devido à pandemia, que o Corpo de Bombeiros está emitindo a liberação, por enquanto, sem a apresentação dos certificados dos brigadistas de incêndio, para evitar aglomerações. “Dentro dessas medidas que eu citei, tem a brigada de incêndio, que requer que todos os funcionários, bem como também os padres, passem por um curso. Um treinamento para que possam manipular os equipamentos, porque não adianta tê-los à disposição e não saber manuseá-los. Tão logo passe a pandemia, a nossa firma, eu e meu filho, iremos treinar todos os funcionários, que passarão por aulas teóricas e práticas e emitiremos o certificado de brigadista de incêndio”, completou.

Mesmo sem a necessidade de certificado, o diácono dividiu os funcionários, padres da Catedral e a equipe da WebTV “A Voz Católica” em pequenos grupos, para passar algumas noções básicas de como manusear os equipamentos em caso de uma necessidade urgente antes da aplicação do curso. “Então essas são medidas realmente necessárias e obrigatórias e hoje, graças a Deus, a Catedral já está adequada à legislação”.

Confira as fotos de um dos treinamentos em nosso Facebook.

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video