Na Catedral, Arcebispo de Juiz de Fora preside Missa do 1º Domingo do Advento

DSCN9341A Igreja iniciou, neste domingo (28), o novo Ano Litúrgico e, com ele, o Tempo do Advento, período de preparação para o Natal do Senhor. A data foi recordada em todas as Missas do dia, com o gesto simbólico do acendimento da primeira vela da coroa do Advento.

Esse círculo de folhagens verdes que enfeita as igrejas nas semanas que antecedem o nascimento de Jesus representa a esperança e a vida. Entrelaçada por uma fita vermelha, símbolo do amor de Deus por nós, a coroa traz em seu centro as quatro velas que serão acesas, uma a cada domingo.

Na Catedral de Juiz de Fora, a Eucaristia das 10h foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, e concelebrada pelo Administrador Paroquial, Padre José de Anchieta Moura Lima. Os diáconos Antônio Valentino e Waldeci Rodrigues serviram ao Altar. “Este é um tempo de expectativa. Constituído de quatro semanas preparatórias para duas coisas: primeiro, para a segunda vinda do Senhor; Ele voltará. Nós devemos estar sempre preparados para isso, e a liturgia de hoje nos ajuda. Depois, também preparar o Natal, grande festa da vinda do Senhor, recordando que Ele nasceu em Belém para nos salvar”, explicou Dom Gil.

DSCN9332-300x225No Tempo do Advento, as cores litúrgicas são o roxo e o róseo, sendo este usado apenas no terceiro domingo. O Arcebispo falou sobre o significado de cada uma delas. “Eu digo que o roxo do Advento não é o mesmo da Quaresma. O roxo da Quaresma é o da penitência, da dor, do sofrimento de Cristo. Já o do Advento é o roxo da expectativa; é aquele arroxeado que vemos no horizonte quando o sol está para nascer. Quando chega o terceiro domingo nós usamos o róseo, que já é um passo além do roxo, até chegar a luz: no Natal será todo branco o paramento”, finalizou.

Fonte: site da Arquidiocese de Juiz de Fora

Tempo do Advento é marcado por Novena de Natal na Arquidiocese de Juiz de Fora

Vela-AdventoNo domingo, 28 de novembro, começou o Ano Litúrgico e, com ele, o Tempo do Advento, período de preparação para o nascimento de Jesus. São quatro semanas de expectativa para essa festa e, no decorrer delas, somos convidados a esperar o Menino Deus que vem no Natal e virá no final dos tempos.

Nas duas primeiras semanas do Advento, a nossa esperança se volta para a segunda vinda definitiva e gloriosa de Jesus Cristo, Salvador e Senhor da história. Já as duas últimas semanas visam, em especial, a preparação para a celebração do Natal, a primeira vinda do Filho de Deus entre nós. Por isto, este tempo é de piedosa e alegre expectativa.

“O Tempo do Advento é o tempo da expectativa, o tempo da espera, o tempo da confiança, é o tempo em que Deus vai falando ao nosso coração e aquecendo a nossa alma. Chegará o Natal, quando vamos celebrar o nascimento de Jesus a dois mil anos atrás. E o Advento nos recorda que, assim como o anjo anunciou a chegada do Senhor em Belém de Judá, anuncia também que Cristo voltará para julgar os vivos e os mortos no fim dos tempos, quando tudo estará consumado”, explica o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira.

Na Arquidiocese de Juiz de Fora, esse período será marcado pela tradicional Novena de Natal, que em 2021 traz o tema “A alegria do amor em família” e o lema “Vendo novamente a estrela ficaram repletos de alegria” (Mt 2,10). Assim como aconteceu no ano passado, os materiais da novena foram disponibilizados no formato on-line (clique aqui) para aqueles grupos que decidirem realizá-la à distância, enquanto algumas paróquias optaram pela impressão do texto.

Além disso, os encontros novenários que começaram a ser veiculados também no dia 28, acontecerão diariamente na Rádio Catedral 102,3 FM, às 07h45 e às 18h10, até o fim do Advento. Assim, ao chegar no nono encontro, reiniciará no dia seguinte, para que todos tenham a oportunidade de acompanhar as orações preparatórias para o Natal.

Fonte: site da Arquidiocese Juiz de Fora

Conselho Pastoral Paroquial (CPP) da Catedral se reúne pela primeira vez após o início da pandemia

reuniao cppOs coordenadores de pastorais, movimentos, grupos, associações e ministérios da Catedral estiveram reunidos nesta terça-feira, dia 23, na Catedral. Foi a primeira vez que o Conselho Pastoral Paroquial (CPP) se reuniu após o início da pandemia.

Momentos de oração e partilha de experiências e de ações realizadas desde o começo da pandemia fizeram parte da reunião, que foi programada para não se estender muito devido ao momento de cuidado que ainda vivemos. E também foram apresentados relatório específico do dízimo e relatórios gerais do ano de 2021.

O administrador paroquial da Catedral, padre José de Anchieta Moura Lima, explicou sobre a situação financeira da Catedral. “Continuamos com muitas contas, porque tivemos que fazer algumas obras com urgência, mas graças a Deus e a fidelidade dos dizimistas estamos conseguindo manter nossas obrigações”, destacou.

Após passar a palavra para os participantes da reunião alguns representantes de pastorais, movimentos, grupos, associações e ministérios da Catedral falaram sobre como aconteceram as suas atuações desde o início da pandemia (os relatos seguem abaixo).

O vigário paroquial da Catedral, monsenhor Luiz Carlos de Paula, deu a bênção final, mas antes agradeceu o empenho de todos que procuraram estar próximos e viver a fé mesmo com o distanciamento social. E também reforçou que “todos devem permanecer com os devidos cuidados, especialmente, nas festas de fim de ano, devido à proliferação da variante Delta, e devem tomar a vacina aqueles que ainda não tomaram e fazer campanha em prol da vacina com os familiares e pessoas próximas que, porventura, também não tenham se vacinado”.

reuniao_cpp-2.jpgAtuações de pastorais, movimentos, grupos, associações e ministérios da Catedral na pandemia respeitando todos os protocolos das autoridades de saúde

- Catequese: ampliou o número de 90 para 153 crianças / está realizando encontros virtuais / iniciou com missas uma vez por mês, depois passou para duas vezes e agora tem mais vezes quando possível / teve a celebração de uma Crisma e duas Primeira Eucaristia.

- Pastoral do Batismo: só parou as atividades no período mais crítico e depois foi retomando aos poucos / fizeram adaptações, como diminuir o tempo e o número de participantes do curso de preparação para pais e padrinhos, participação limitada na celebração dos batizados, entre outras.

- Curso de Noivos (Catequese Matrimonial): devido à grande procura começaram a ser realizados cursos especiais, também com horário e o número de participantes reduzidos.

- Pastoral Social: mesmo nos momentos mais críticos, as pessoas cadastradas não deixaram de ser atendidas / somente não foi possível permanecer com o lanche para os assistidos, que acontecia todo mês / uma média de 150 cestas básicas entregues por mês, mesmo para pessoas não cadastradas, que levam ao menos alguns itens quando não é possível entregar uma cesta completa.

- Terço dos Homens: orações online durante o período mais crítico, depois começaram com um dia presencial e agora são dois dias / trabalho com moradores de rua desde que a situação melhorou um pouco / lançamento da Campanha Natal solidário para os moradores de rua.

- Pastoral da Sobriedade: criou uma comunidade terapêutica no bairro Graminha, não parou as atividades nos momentos mais críticos (atuou internamente) / há 5 meses começaram a abrir para a comunidade, com o Terço da Sobriedade e Novenas / atualmente está com 8 pessoas acolhidas / estão participando das missas aos domingos na capela próxima da comunidade.

reuniao_cpp-3.jpg- Grupo de Oração Jerusalém (Renovação Carismática Católica - RCC): após um período de adaptação, devido à dificuldade da maioria dos membros por causa das novas tecnologias, estão se reunindo semanalmente de forma virtual.

- Grupo São José: retomaram os atendimentos no mês de julho devido à grande procura e atenderam 55 gestantes desde então / estão com 4 voluntárias trabalhando de casa / pediram doações, principalmente de fraldas e mantas de microfibra.

- RenaC (grupo de jovens): o trabalho com os jovens também teve desafios / foi difícil manter todos ativos nas reuniões devido a dificuldades na família, na vida profissional, nos estudos e a sobrecarga que esse período trouxe / recentemente começaram a realizar uma adoração por mês com revezamento de pessoas para a capela não ficar cheia.

- Ordem Terceira do Carmo: praticamente não funcionou devido à idade avançada da maioria dos membros e também perdeu muitos participantes neste período / fez uma bonita festa no dia de Nossa Senhora do Carmo, com a presença do coordenador geral da OTC que deu uma palestra / a priora passou por esse período enviando palestras sobre a espiritualidade carmelitana para os membros.

- Legião de Maria: após adaptações, porque a maioria dos participantes são idosos, começaram reuniões online / realizaram visitas por telefone fixo para as pessoas que não tinham celular ou que não conseguiram aprender a mexer.

Leia mais

NEWSLETTER
Cadastre-se e receba as novidades da Catedral.
  1. Facebook
  2. Twitter
  3. Instagram
  4. Video